3 de Outubro, quinta-feira, 19h às 21h30
Abertura do Filma Bauru e Mostra Competitiva (documentários e animações)
Local: Auditório da OAB-Bauru - Avenida Nações Unidas, n. 30-30.
Duração da mostra: 128 minutos.


“Muska” (Bauru, 2019, animação, 2 min.)
Direção: André Silvestre
Classificação Indicativa: Livre
Muska é um curta-metragem desenvolvido no intuito de por em prática elementos e processos da linguagem do motion design em uma narrativa visual como trabalho de conclusão de curso da graduação em design da Unesp Bauru. A narrativa aborda o dia de uma mosca.

“Certas Palavras Precisam ser Ditas” (Santos/Serra Negra, 2019, documentário, 13 min.)
Direção: Vinicius Ellero
Classificação Indicativa: Livre
Aos 29 anos o diretor busca entender sua história e de sua mãe através da visão dos membros de sua família.

“Intervenção Felina” (Bauru e Mineiros do Tietê, 2018, animação, 3 min.)
Direção: Monique Calandrin
Classificação Indicativa: Livre
Intervenção felina conta a história de um gato que está tentando ajudar suas donas a fazer as pazes após um desentendimento no relacionamento.

“Outra Etapa” (São Vicente, 2019, documentário, 15 min.)
Direção: Rachel Hidalgo
Classificação Indicativa: Livre
Estar disposta a começar tudo de novo. É disso que trata Outra Etapa, a história de cinco mulheres atletas que, em meio a suas carreiras na luta, no fisiculturismo e no levantamento de peso, tentam equilibrar suas vidas no esporte com o desejo de ser mãe.

“Sopa de Pedra” (Bauru, 2018, animação, 5 min.)
Direção: Renata Vuolo, Lourenço Garcia Júnior, Marcelo Lino
Classificação Indicativa: Livre
Pedro Malasarte era um menino muito astuto e curioso, que gostava de desafiar as pessoas.Um dia, ouviu os homens da venda da cidade falarem sobre uma velha avarenta que dava nada a ninguém. Pedro, então, decide apostar que a velha lhe daria tudo que pedisse.

“Cabeças Falantes” (Campinas, 2017, documentário, 20 min.)
Direção: Natasha Rodrigues
Classificação Indicativa: 10 anos
O curta-metragem Cabeças Falantes retrata a vivência de jovens negros(as) em uma universidade pública. Numa mistura de situações ficcionais com entrevistas, o documentário representa uma forma de inadequação social que aparenta ser sutil externamente, mas que explode internamente nas cabeças desses sujeitos. De maneira sensível, o filme traz um pesado conflito entre vozes de preconceitos e estigmas e o desejo de ocupar o espaço universitário.

“Ciclo” (Bauru, 2018, animação, 2 min.)
Direção: Felipe del Rio
Classificação Indicativa: Livre
Ciclo retrata um acontecimento no dia de trabalho de um funcionário que reflete um aspecto do próprio comportamento humano.

“Do Barulho ao Silêncio: vozes caladas em meio à explosão” (Bauru, 2019, documentário, 20 min.)
Direção: Luís Negrelli
Classificação Indicativa: Livre
No dia 13 de agosto de 1976 Bauru recebia a visita do presidente Ernesto Geisel. Minutos antes de sua partida um caminhão carregado com combustível tombou e o líquido foi parar embaixo da Avenida Nações Unidas, causando uma série de explosões. A hipótese de um atentado contra o presidente surgiu. Aquela sexta-feira 13 ficou na memória dos bauruenses. Chegou a hora de ouvir o relato dessas pessoas e conhecer a história do personagem que não virou manchete naquele dia: o motorista do caminhão.

“Interrogação (ou Psicopata Legalizado)” (Guarulhos, 2019, animação, 1 min.)
Direção: Moisés Pantolfi
Classificação Indicativa: 10 anos
Chovia na noite de segunda feira (17/09/2018) no Rio de Janeiro. Rodrigo Alexandre da Silva Serrano, de 26 anos, desceu a ladeira Ary Barroso para esperar a mulher e os filhos com um guarda-chuva preto. De repente três disparos.

“Pluma Forte” (Campinas, 2019, documentário, 14 min.)
Direção: Coraci Ruiz
Classificação Indicativa: 14 anos
Pluma Forte é um doc-poema sobre o corpo da mulher: dissidente, desejante, desviado, empoderado, suado, latejante, sobrevivente. Em cena, quatro artistas que desafiam os padrões, subvertem as normas e poetizam seus corpos em atos de resistência e transgressão.

“Peripécias de uma Rainha entediada” (Campinas, 2019, animação, 13 min.)
Direção: Ricardo Quintana
Classificação Indicativa: Livre
Peripécias de uma Rainha entediada apresenta para as crianças o quadro “D. Pedro II” de Victor Meirelles e, a partir da curiosidade de uma rainha sobre o Imperador do Brasil, as crianças acompanham sua visita à Exposição Universal da Filadélfia, em 1876, e descobrem que foi nela que o Imperador conheceu Graham Bell e o telefone.

“Mandela II” (Campinas, 2018, documentário, 20 min.)
Direção: Jean Goes
Classificação Indicativa: 12 anos
Curta-metragem documental que aborda as desigualdades no acesso a terra e a moradia no Brasil, usando como foco principal do documentário a Ocupação Mandela, situada na cidade de Campinas. Os moradores da Ocupação Mandela ocupavam com mais de 600 famílias um terreno abandonado há mais de 30 anos até que sofreram uma ação de reintegração de posse por parte do Poder Público junto ao proprietário do Terreno em Março de 2017. Hoje ocupam outro terreno e seguem lutando pelo direito à moradia.

------



5 de Outubro, sábado 
em duas sessões: 14h30 às 17h30 e 18h30 às 21h30.
Mostra Competitiva (Ficção)
Local: Teatro Universitário FOB-USP - Alameda Dr. Octávio Pinheiro Brisolla, 9-75 
Duração da mostra: 175 minutos.

“A Previsão do Pôr do Sol” (Campinas, 2018, ficção, 17 min.)
Direção: Ana Amon
Classificação indicativa: 10 anos
Laís é uma jovem ansiosa que se preocupa demais com muitas coisas do dia-a-dia, enquanto evita confrontar um conflito sério com seu pai, com quem não conversa há mais de um ano. Um dia ela sai da rotina ao admirar um belo pôr do sol que a levará a grandes mudanças.

“Crônico” (Bauru, 2019, ficção, 20 min.)
Direção: Mateus Rossi Torralba Horta
Classificação indicativa: 12 anos
Crônico é um curta metragem experimental que procura discutir de forma subjetiva assuntos relacionados à saúde mental e às psicopatologias atuais usando a linguagem audiovisual para resgatar sensações e sentimentos, ilustrando diferentes etapas de processos internos e adentrando a intimidade de um personagem solitário e obsessivo.

“Um Beijo para Sofia” (Piracicaba, ficção, 17 min.)
Direção: Calleb Jangrossi
Classificação Indicativa: Livre
Sofia é uma criança soropositivo, que com ajuda de sua mãe e o apoio de seu melhor amigo Davi, precisará enfrentar problemas nunca confrontados em sua infância. Entre medicações e unicórnios ela descobrirá uma amizade transformadora.

“Existo” (Sorocaba, 2018, ficção, 19 min.)
Direção: Bruno César
Classificação Indicativa: 12 anos
Thiago é um jovem homossexual que sonha em se montar como drag queen pela primeira vez. Guiado por esse sonho, passa a questionar e enfrentar preconceitos externos e internos enquanto se expressa no único corpo em que se sente livre: o de Sophia.

“Luiz”  (São José do Rio Preto, ficção, 17 min.)
Direção: Alexandre Estevanato
Classificação Indicativa: Livre
Luiz é uma daquelas doces crianças que tem olhos de ver, vê pureza, vê bondade, vê o mundo com inocência, vê até um amigo imaginário! Junte-se a eles nessa delicada aventura e descubra o que há de bom na vida. E você, tem olhos de criança?

“Raiva” (Campinas, ficção, 15 min.)
Direção: Bruno Alves
Classificação Indicativa: 12 anos
Após o fim da ditadura militar brasileira, Joel, um militar aposentado, enfrenta sua própria consciência dentro das paredes de seu apartamento. “Raiva” é uma análise simbólica e metafórica sobre um período obscuro e sobre como a falta de compreensão do passado pode levar a consequências no futuro.

“Rosas” (Paulínia e Holambra, ficção, 20 min.)
Direção: Bellamir Freire
Classificação Indicativa: 14 anos
Magoado or nunca ter conhecido sua mãe, Zé, um homem do campo, larga sua namorada na fazenda e parte em busca do seu autoconhecimento. Retorna tempos depois, com nova identidade.

“Surgo” (Bauru, ficção, 14 min.)
Direção: Bruno Almeida, Wesley Bernardo
Classificação Indicativa: 12 anos
Laura, uma jovem assombrada por seus pensamentos, revive momentos dolorosos de sua vida em busca de um confronto direto com seus maiores medos.

“Seu amor ainda é tudo” (Caieiras, ficção, 20 min.)
Direção: Adriano Gomez
Classificação Indicativa: 16 anos
O ano é 1980. Vilma (Rosa Piscioneri) e Cícero (Dudu de Oliveira) compartilham um amor intenso. Wilma demonstra suas expectativas e cria planos com seu amado, mas este acaba não correspondendo e o casal se separa, tomando direções opostas. Tempos depois, eles se reencontram, mas escolhas que fizeram foram determinantes para suas vidas.

“Volume Morto” (Piracicaba, ficção, 15 min.)
Direção: Kit Menezes
Classificação Indicativa: 10 anos
É 2014 e uma grande seca assola o sudeste do país. Olga e Anita, duas mulheres que vendem água no trânsito, precisam encontrar um novo trabalho. Elas precisam acessar seu próprio Volume Morto.

Back to Top